3 de novembro de 2012

On The Road - Resenha Critica


Olá leitores, tudo bem?

Este é um livro antigo que voltou com tudo atualmente por ter sido lançado um filme homônimo. Apenas falarei isso e deixo meus comentários só pra crítica mesmo, porque senão não vou parar de falar aqui! rs


Titulo: On the Road – Na estrada

Autor: Jack Kerouac

Editora: L& PM Editora

Numero de paginas: 292

Avaliação do conteúdo: 1/5
                       Capa: 5/5
                       Diagramação: 5/5

"Devemos ter em mente que nada está errado, tudo está absolutamente bem."


RESENHA

Para qualquer escritor, falta de inspiração é um baita problema, mas, para Sal Paradise isso não é nada. Ele mora com sua tia em new Jersey e vive uma vida tranquila de um cara formado em letras tentando escrever sua obra prima que irá durar anos e anos, até que seus amigos o apresentam a Dean Moriarty. Dean é um andarilho de Denver que vive as mais impressionantes aventuras na estrada enquanto cruza os Estados Unidos de ponta a ponta e, é ai que começa a parte na vida de Sal que podemos chamar de “On the Road”. Juntos, eles cruzam o país de uma forma alucinante conhecendo diversos tipos de pessoas e lugares.


CRíTICA

Comprei “On the Road” por causa do filme, assisti-o primeiramente e sai com um ponto de interrogação da sala de cinema, então achei que era o problema da adaptação cinematográfica. Mas não, infelizmente este não foi o problema. Foi feita uma mística em cima de “On the Road”, uma mística que se dissolve a cada página que você lê. Forço-me lembrar que este é um clássico americano escrito nos anos 50 e considerado o manifesto da geração beat no qual rompiam limites e expressavam livremente suas visões do mundo e suas histórias, muitas vezes movidos a drogas, álcool, sexo livre e jazz .E, é basicamente isso que o livro retrata: sobre as viagens de jovens americanos no interior do estados unidos e México, e... só! Uma viagem banhada a sexo, drogas, álcool, encrencas e muita música.

Sem contar que o livro na verdade é uma auto biografia do autor e de seus amigos, onde algumas coisas presentes no livro realmente aconteceram, mas é assim... só de falar desse livro já me da sono. Sem contar que, o jeito que foi escrito, meu Deus, pelo fato de Kerouac ser um escritor de vanguarda que procurava deixar sua marca na literatura, ele não podia escrever normalmente, então a falta de parágrafos e de pontuação transmite a impressãode que o autor arremessa informações na sua cara esperando que você engula tudo de uma vez e ainda consigo digerir tudo. É uma leitura cansativa.

Mas, nenhum livro é somente feito de partes ruins, algumas partes se salvam, "algumas"...
Só que, quando você está gerando uma empatia mais forte com alguma das personagens, o autor consegue de algum jeito destruir  isso. Em alguns momentos, a descrição do local por onde estão passando dura páginas e páginas e, em seguida ele cospe na sua cara com uma fala assim “ e naquela noite eu e  Marylou transamos”, sabe, ele deixa passar alguns fatos que mereciam uma ênfase maior, mas não, ele prefere dedicar só meia linha. Mas, as descrições das personagens são fantásticas, não só fisicamente mas como psicologicamente e, acho que essa “viagem” atrapalha um pouco a leitura.

Acredito que a historia contada por um outro autor talvez tivesse me cativado mais. Este foi um livro que esperei tanto tempo para ler, tive tantas expectativas para essas horas de prazer com as quase 300 paginas e, no final de tudo, o considerei como a maior decepção literária que já tive

É isso! Desta vez, esta não é uma indicação e sim um aviso de "não compre". Peço desculpas às pessoas que leram e amaram, mas esta é apenas a minha opinião. Comentem!

Abraços,
Gustavo Bracco.

23 comentários :

  1. Eu não assisti o filem mas tenho curiosidade de ler o livro mas depois da sua resenha fiquei com o pé atrás =/ mas pretendo ler para ter minhas própria opinião acerca do livro! beijos
    Céu de Letras

    ResponderExcluir
  2. Bom saber! Obrigado pelo aviso

    Beijoos!
    http://simplesglamour.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Gustavo, eu já havia visto tanto o livro quanto o filme em alguns blog, mas foi algo superficial, não lembro muito do que o pessoal falava. Mas, apenas pela capa me interessei pelo livro, sendo que agora depois de sua opinião, desanimei. Vi o quanto você foi sincero, então não é bom eu arriscar meu dinheirinho. ^^ rsrs


    Beijos :*
    Natalia - ELL
    http://musicaselivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. nunca tinha ouvido falar do livro. e pelo jeito nem quero ler, pela resenha que voce fez, hahahhaa
    beijos
    www.portefeminino.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza leia, melhor livro ever....afinal inspirou toda uma geração!!

      Excluir
  5. Olá querida amiga como vai!
    Estou passando por aqui para parabeniza-lá pelo seu Blog e
    tbm pedir uma ajudinha.
    Comente neste link abaixo:
    http://diferencial2000.blogspot.com.br/2012/11/smartlife-no-top-blogvamos-votar.html
    Não precisa votar se quiser.
    Vou retribuir com muito carinho.
    Um super beijo e ótima semana.

    ResponderExcluir
  6. Oieee ♥ tudo bem?
    Vim te fazer uma visita e dizer que tem um novo selinho lá no blog pra você. Espero que goste ok.
    Segue o link: http://paulinhaeasmulheres.blogspot.com.br/2012/11/no-selinho-do-blog.html

    E caso você ainda não tenha o selinho do meu blog fique a vontade pra pegar. E se tiver do seu blog é repassar ok.Bjão
    http://paulinhaeasmulheres.blogspot.com.br/2012/11/meu-selinho.html

    ResponderExcluir
  7. Eu nunca tinha ouvido falar nem do livro, nem do filme! Mas, fiquei curiosa... Realmente acredito em você, deve ser cansativo, mas já que teve gente que amou, prefiro ler e tirar minhas próprias conclusões...

    Curti sua fã page!

    Mil Beijos
    Retribui o comentário?
    http://livrosebatons.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Ficou ótima sua resenha! Você expôs muito bem o lado negativo do livro, e também o ponto que você considerou positivo, e achei que foi muito bem colocado, a resenha esta dez! Não sei se eu teria coragem de ler, pois nem a sinopse me cativou, e creio que não exatamente meu tipo favorito de leitura =D

    Bjs

    www.daimaginacaoaescrita.com

    ResponderExcluir
  9. Retribuindo a visitinha... Eu já tinha ouvido falar do filme e se eu soubesse que era baseado em um livro teria comprado mas agora que você falou não vou mais comprar não KKKKK

    xoxo :*
    http://teenagedream-blog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oláá Carolinee!!
    Fico triste que o livro tenha sido assim tão decepcionante, é horrível quando esperamos muito de algo e essa coisa nos decepciona, e em se tratando de um livro não é nem um pouco diferente, rsrs.
    Que bom ter sido avisada por você, assim já não o coloco na lista de desejados e se um dia chegar a fazer isso vou com zero expectativas.
    Beijo!!

    ResponderExcluir
  11. Bom saber disso, adorei o post, sinceridade é sempre bom!

    Beijoos!
    http://simplesglamour.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Sabe qual o problema?? Vocês, primeiramente olharam o filme, para depois ler a magnifica obra de Karouac. Conheço as obras do autor a muitos anos, e não apenas quando foi feita a adaptação cinematográfica. A obra não é cansativa, mas sim libertadora. Aprendam, que antes de ver uma adaptação de um livro nos cinemas, temos de LER ele antes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi laura.
      eu conheço kerouac faz tempo tbm, ja li "os vagabundo iluminados", "big sur" e "tristessa"... dentre dos quais, nenhum chega aos pés da chatisse de on the road. Não tiro o merito da vanguarda representada por kerouac no movimento beatnik, "on the road" é sinonimo de libertação cultural e social numa época terrivel, mas me desculpa se não tenho uma opnião igual a sua, que acha que uma idéia transcrita para o papel, nao seria hoje, em partes utopica... a geração beat durou o quanto deveria ter durado, com toda sua procrastinação e libertinagem. Se vc adimira tanto kerouac, aconselho-te a ler "tristessa" do próprio kerouac ( mas ja em outra fase) e "almoço nu" de W. S. Burroughs
      desculpa se passei a impressao de estar menosprezando a obra de kerouac, ou mostrando um desconhecimento do movimento de contracultura... e espero que entenda meu ponto de vista

      Excluir
  13. Já ouvi sim falar do livro e do filme, e é realmente meio confuso..
    Adorei o jeito que você expôs sua opinião na resenha!

    Beijos, Gabi
    Blog Palácio de Livros

    ResponderExcluir
  14. que pena que se decepcionou eu não conheço nem o livro nem o filme boa sorte no próximo
    otima semana bjus geh
    http://coresdebutterfly.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Li o livro ,mas não assisti ao filme,boa resenha parabéns pela sinceridade,realmente o livro às vezes é muito cansativo

    ResponderExcluir
  16. O livro tem uma fama que justifica-se simplesmente pelo fato de ter sido escrito com temas polêmicos para uma sociedade da década de 50, o contexto histórico e o estilo de escrita de Kerouac acabaram tornando o livro famoso. Fora isso, literariamente, diz pouco, reflete pouco, ou seja, não tem nada demais nele. Me esforcei para achar esse grande significado que moveu milhões de leitores e achei um livro um pouco "bobinho", deveras pretensioso.

    ResponderExcluir
  17. Não gostei nada do livro, foi uma decepção bastante grande. O filme resume-lhe de melhor forma e apresenta os fatos sob um olhar mais claro e racional, tornando-lhe muito melhor que a linguagem expressa no livro.
    Vale ser lido pelo contexto histórico e pelas ideias que busca divulgar, e pelo fato de poder conhecer o estilo de Kerouac. Fora isso, muito ruim.

    ResponderExcluir
  18. Eu não sei se você é apenas ingênua...
    Toda obra literária é reflexo de um tempo, não apenas da mente do autor. Keroauc deu ao mundo um presente sem precedentes: a conhecida Geração Beat, que transformou a estética literária vigente, tal qual Hunter S. Thompson com seu "Fear And Lothing In Las Vegas", que foi uma bomba para a estética jornalística norte-americana.
    Esses autores que citei são de imprescindível conhecimento de alguém que se diz amante da literatura (sobretudo de alguém que escreve a cerca de um conteúdo de impacto mundial sem nem citar toda uma geração que teve início com a obra que você está resenhando. Falha de iniciante...).
    Você foi arbitrária e unilateral em seu comentário, além de possuir um base muito superficial sobre o assunto. Melhor se aprofundar mais da próxima vez.
    Um Abraço

    Jonatas Khein

    ResponderExcluir
  19. sublimeirrealidade.blogspot.com.br/2012/09/on-road-o-livro.html

    ResponderExcluir

Críticas são importantes, até mesmo as negativas! Então, não deixe de criticar por aí!