6 de abril de 2013

O Cair da Noite - Resenha Crítica

E ai pessoal, tudo bem com vocês?

Depois de muito tempo sem postar absolutamente nada aqui, finalmente voltarei a redigir as resenhas de diversos livros, para todos aqueles que estão esperando o fechamento com os dois últimos livros da minha série dos melhores livros que já li. 

Neste post, vim falar de um pequeno conto, mas que ganhou uma grande importância principalmente por ter sido escrito pelo pai da ficção científica, Isaac Asimov





Titulo: O Cair da Noite

Autor: Isaac Asimov

Editora: Arte & Letra

Numero de paginas: 80

Avaliação do conteúdo: 5/5
                       Capa: 5/5
                       Diagramação: 5/5






RESENHA:

Em mundo comum, assim como o nosso, é possível que se desenvolvam religiões, crenças e a tão aclamada ciência. Porém diferentemente da Terra, Lagash é um planeta que jamais viu sequer as estrelas da noite, isto devido ao fato de que Lagash está exatamente no meio de 6 estrelas, sendo assim nunca há noite no planeta e todos estão sempre acostumados com a bela luz do dia.


Porém uma antiga crença de uma das religiões dominantes aponta que a civilização deste planeta é cíclica, ou seja, ela sempre chega em um determinado ponto e depois se destrói e desaparece e as almas dos homens, mulheres e crianças são sugadas para o céu por estruturas desconhecidas que o livro sagrado chama de estrelas, porém os cientistas de Lagash não estavam muito contentes com esta afirmação e decidiram investigar um pouco mais.

Levantando algumas evidencias, inclusive de livros religiosos, eles elaboraram a teoria de que a cada determinado numero de anos um corpo imenso passava na frente do sol Beta, o sol mais brilhante no céu diurno, e cobre por 12 horas toda sua luz, deixando o planeta em uma penumbra total. Os cientistas resolvem montar um laboratório para analisar este fenômeno, e é ai que o livro todo se passa durante aproximadamente 4 horas de narração, o livro conta como uma série de pessoas, que estavam supostamente preparadas para a escuridão que está por vir, reagem a esses estímulos totalmente novos e desconhecidos. E como a religião afeta a humanidade nesses períodos.

CRÍTICA:

Em 80 simples páginas, Asimov consegue contar uma história completa, com passado, presente e futuro. Porém, ele não dá nenhuma referência de nenhum dos tempos posteriores ou anteriores, isso simplesmente aparece na sua imaginação.


A história não apresenta nenhum personagem principal evidente, porém toda a narrativa se passa no momento em que um repórter entra no observatório científico para fazer uma entrevista com o cientista chefe, o qual não gosta muito deste repórter devido ao fato de que ele sempre criticava suas ações com e para a sociedade de Lagash, mas de repente se mostrou muito interessado na experiência dos 6 sóis. E tudo isso se passa em um período de menos de 5 horas!

O que eu realmente achei incrível sobre este livro é o fato de que ele é uma realidade alternativa de pessoas que nunca conheceram o escuro, que nunca tiveram contato com as estrelas nem com outros planetas, muito menos sabiam o que eram essas coisas, pois a luz dos seis sóis não tornava possível nenhum tipo de observação detalhada do espaço.

Um outro fato interessante é que ele coloca as duas forças mais antagônicas que nós temos aqui na Terra, a ciência e a religião, uma acredita que ninguém sofrerá absolutamente nada neste eclipse, já a outra acredita que as estrelas sugarão todas as almas e limparão o planeta novamente assim como vem acontecendo de tempos em tempos. Mas o que realmente chama a atenção é a similaridade do planeta Lagash e sua sociedade com a nossa sociedade aqui na Terra, o autor meio que faz uma comparação por linhas tortas que só é perceptível por aqueles com elevado senso crítico ou aqueles que prestam muita atenção.

O fator psicológico do livro também surpreende, um dos personagens é um psicólogo, que diz que estará sempre preparado, pois ele entende como as pessoas vão reagir e vive falando para o repórter que uma pessoa despreparada como ele nunca vai conseguir sobreviver, porém ao longo do livro você percebe como os papéis vão se invertendo e como todos os perfis vão se entrelaçando para dizer que: afinal nós somos todos iguais.

Ainda falando dos personagens, assim como em Um ensaio sobre a cegueira, de José Saramago, os personagens são representados pelas suas personalidades. A diferença é que, no livro de Asimov, eles até tem nomes, porém são nomes complicados que poucos vão de fato lembrar, mas são profissões icônicas e distintas que não fogem a memória.

E, para finalizar minha crítica, tenho que dizer que, se você gosta de livros de ficção, vai se impressionar com a história, mas se, além de ficção, você também é um fã de sociologia ou psicologia, você terá um prato cheio em um pequeno conto que pode ser lido em 1 hora no máximo (eu levei 35 min) e que vai fazer você realmente pensar sobre seu significado. Ele não pode faltar nas cabeceiras de todas as pessoas que curtem essa literatura fantástica.

Recomendo também os outros livros de Asimov, como: O homem bi-centenário, Eu Robô, Trilogia: Fundação, O fim da eternidade, Os próprios deuses e muitos outros mais. Eles são bem fáceis de achar para a efetuação da compra. 



Espero que tenham gostado!

Abraços,
Lucas.

14 comentários :

  1. Fiquei super mega curioso com a estória e contar tudo isso o que você disse em 80 páginas, parece dificílimo, mas preciso conferir.

    Ótima resenha!

    Lucas / Era uma vez
    livrosecontos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Pela sua resenha já me interessei elo livro! Curto psicologia e ficção, então acho que preciso dele! hahaha
    Ótimo post! *---*
    Beijocas!

    PiinkCookie.blogspot.com ♥

    ResponderExcluir
  3. Eu estou mesmo precisando ler mais e acho que vou começar a fazer isso lendo esse livro hah

    Beijoos!
    http://simplesglamour.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. oi, tudo bem?
    eu não curto muito ficção :(
    nossa, 35 minutos? a narrativa deve ser ótima mesmo
    bjs
    estilorosa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Infelizmente, não é meu tipo de livro. Mas curti o teor positivo da resenha!
    Beijo,
    Vinícius - Livros & Rabiscos

    ResponderExcluir
  6. Ainda não tinha ouvido falar desse livro, mas parece que estou perdendo muito por não tê-lo em casa...
    com certeza eu vou procurar o livro e ler... pra ontem ;)
    Adorei a resenha =)


    Beijos,
    Carol e seus livros.

    ResponderExcluir
  7. Gostei da resenha e da crítica, parece trazer uma ficção bem legal relacionando religião, terra e outros fatores, não era o tipo de livro que me interesse de primeira, mas gostei de conhece-lo, me deixou curiosa em alguns pontos :* beeijinhoooos

    ResponderExcluir
  8. Tenho muita vontade de ler as obras do Asimov, principalmente essa e a Trilogia Fundação. Ótima resenha!
    Beijos

    http://palavrasdeumlivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Adorei a resenha!
    Beijos
    Cléo de Lucca
    minhaamigamedisse.blogspot.com.br
    Instagram: @minhaamigamedisse_fashionblog

    ResponderExcluir
  10. Pareceu bem interessante, eu prefiro livros menores, que não enrolam tanto a história, e com menos tempo consigo ler mais livros. Quero ler esse.♥

    PiinkCookie.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. parece trazer uma ficção bem legal relacionando religião, terra e outros fatores, não era o tipo de livro que me interesse de primeira, mas gostei de conhece-lo, me deixou curiosa em alguns pontos! acho que vou comecar por aqui: http://portugues.free-ebooks.net/ebook/O-Cair-da-Noite

    se gostar, logo faco uma maratona dele também! :)

    ResponderExcluir

Críticas são importantes, até mesmo as negativas! Então, não deixe de criticar por aí!