18 de outubro de 2011

Análise de livros de vestibular - Dom Casmurro

Boa tarde pessoal, tudo bem?
Ontem finalmente acabei de ler Dom Casmurro, de Machado de Assis e, como prometido, trago aqui a minha análise dele, lembrando que como é uma análise, haverá sim muitos spoilers!  Espero que gostem e que possa vir á ajudá-los.

1.SINOPSE DO LIVRO

"Publicado pela primeira vez em 1900, Dom Casmurro é o romance mais famoso e polêmico de Machado de Assis. Ambientado no Rio de Janeiro do século XIX, é narrado por seu protagonista Dom Casmurro, um velho solitário e frustrado que, em virtude de sua 'simpatia', recebe esse apelido de um conhecido. O personagem busca, por meio da narrativa, rememorar e compreender fatos de seu passado, principalmente os que envolvem uma mulher: Capitu, a personagem mais intrigante  misteriosa da literatura brasileira. A polêmica toda se centraliza em uma dúvida: Capitu é ou não culpada de adultério? Os fatos até podem indicar que sim, mas o leitor não pode deixar de atentar para um fato: Bento Santiago - o Dom Casmurro -, além de narrador, é advogado. Não teria ele todos os atributos intelectuais para envenenar a narrativa, de modo á levar o leitor a condenar Capitu?" 
--------------------------

2. RESENHA 

*Antes de inciar com a resenha, quero deixar claro que tentarei explicar o livro de uma maneira bem fácil que faça com que o leitor entenda sem precisar de muito. É claro que a obra é complexa, mas vista por cima, já dá para se ter uma ideia do que com o que está lidando nos vestibulares, já sabendo alguma coisa, mesmo que 'por cima'. 

"Quando D. Glória engravidara de Bentinho, com medo de perder a criança na gestação, resolveu prometer que se desse tudo certo, faria de seu filho um padre. Bentinho nasceu perfeitamente e a ideia de todos - principalmente do agregado José Dias - era de que a promessa fosse cumprida. Os vizinhos de D. Glória, os Páduas, tinham uma filha chamada Capitu, a qual sempre estava com Bentinho. Inseparáveis, acabou nascendo aí uma certa 'paixão' que os dois tentavam esconder até ocorrer o episódio do primeiro beijo deles quando estavam perto de completar os 15 anos e assim, Bentinho teria de ir para o seminário se formar padre. Como esse romance seria levado á diante se, sendo padre, não poderia namorar Capitu? Os dois, muito tristes, resolveram pedir para que José Dias fizesse sua mãe mudar de ideia quanto á isso e não o mandar para o seminário, dizendo que não tinha inclinação para ser padre e que poderia fazer outra coisa, mas... Mesmo assim, Bentinho teve de ir para o seminário e, antes disso, ele e sua pequena amada prometeram se casar um dia. Bentinho não via a hora de sair do seminário para ficar com Capitu e exercer outra profissão. Ele a amava demais e ficar longe dela fazia com que ele chorasse todas as noites por ela. No seminário, ele acabou conhecendo Escobar, um garoto que acabara se tornando seu melhor amigo e que também não tinha inclinação para ser padre, pois queria trabalhar com o comércio. Depois de algum tempo, Bentinho finalmente conseguira sair do seminário - explicarei como realizou tal ato depois - se formara em direito, sendo assim um Advogado. A amizade que tinha com Escobar foi levada á frente, o qual acabou se casando com Sancha - a melhor amiga de Capitu - e Capitu, felizmente, com o seu sonhado Bentinho. Os dois casais eram inseparáveis, sempre estavam juntos nas dificuldades familiares e é aí que vai começando a suspeita, já que muitas vezes, Bentinho chegava em sua casa e Escobar estava saindo de lá, sempre com uma desculpa. O primeiro casal acabou tendo filhos primeiro e o do segundo só veio mais tarde, tendo o nome de Ezequiel. Todos bajulavam o novo membro da família, que era gracioso e gostava de imitar os gestos das pessoas (reparem bem!) e, certa vez, imitara direitinho Escobar. Nisso, Capitu ficara brava com o filho e desde então não deixara que ele 'brincasse' mais com isso. Ezequiel foi crescendo e nele surgia características físicas, como os olhos, que eram parecidíssimas com as de Escobar. Bentinho, á essa altura, já não estava tratando bem seu amigo e, quando ele acabou morrendo pelo mar, nem ficou tão triste - pra não falar que não fico 'nada' triste - com a perda dele. Ao invés do melhor amigo, quem se incumbira de carregar a tristeza exagerada fora sua 'cunhadinha', Capitu. O protagonista já não sabia mais o que fazer, pois isso o estava incomodando demais! Decidiu então se matar com veneno para resolver seu problema mas, ao invés disso, um dia, quando Ezequiel fora abraçá-lo, ele acabou sendo grosso e dizendo que não era o pai dele. Capitu, que acabou ouvindo a conversa, teve uma discussão com ele e disse que o ciúmes que sempre carregara agora estava tão forte que atingia até o 'defunto'. A solução não era mais a morte: os dois resolveram se separar e Capitu fora morar com Ezequiel na Suíça. Dom Casmurro - não mais Bentinho, nem Bento Santiago, pois agora se tornara aquela pessoa fria - teve a notícia, dada pelo seu filho que retornara para o Brasil, que sua ex amada estava morta e, um tempo depois, seu 'filho' acabou morrendo também. O livro termina com Dom Casmurro vivendo sua vida de uma maneira 'monótona', sem mais parentes vivos e uma hora ou outra, tendo mulheres como diversão ao seu lado."
--------------------------


3. ANÁLISE DOS PERSONAGENS PRINCIPAIS

Dom Casmurro/ Bento Santiago/ Bentinho: 
Narrador da história, enquanto narra os fatos da época em que era criança - mais ou menos até sair do seminário - mostra o encanto que tem com a vida, narrando de uma forma mais suave, ingênua, mais alegre e cheia de encantos. Quando começa á parte em que sai do seminário e se forma em direito, atingindo a sua maturidade,  começa a ser bem mais realista quanto ás coisas da vida e ousa de 'melancolia'. Na narrativa, isso é muito bom, pois escrevendo assim, mostra como ele vai mudando através dos tempos e das lições em que aprendeu em sua vida. 

D. Glória:
Mãe de Bentinho, é uma pessoa muito bondosa, descente, honesta e preocupada com a família. Como o narrador diz, ao fazer a sepultura da mãe, escreve "Uma santa", o que na realidade ela sempre foi considerada por todos devido á sua personalidade. Acabou se tornando viúva nova, mas nem por isso cedeu aos encantos de outro homem. Sempre atenciosa com a educação do seu filho e com os negócios das casas que tinha para alugar. Era de uma classe social mais elevada. 

Capitu:
Antes amiga de Bentinho, depois mulher dele e mãe de Ezequiel. Tinha essência enigmática e sedutora e não era sem razão que era conhecida por ter olhos de ressaca."...Criatura de quatorze anos, alta, forte e cheia, apertada em um vestido de chita, meio desbotado. Os cabelos grossos, feitos em duas tranças, com as pontas atadas uma à outra, à moda do tempo, desciam-lhe pelas costas. Morena, olhos claros e grandes, nariz reto e comprido, tinha a boca fina e o queixo largo. As mãos, a despeito de alguns ofícios rudes, eram curadas com amor; não cheirava a sabões finos nem águas de toucador, mas com água do poço e sabão comum trazia-as sem mácula. Calçava sapatos de duraque, rasos e velhos, a que ela mesma dera alguns pontos”

Escobar:
Não há muito o que falar de Escobar, personagem que acabou conhecendo o protagonista na época em que estava no seminário e acabou se tornando o melhor amigo dele. É um personagem simples e sem muito á se esperar, porém, é isso que nos instiga a pensar que traiu o amigo com a esposa dele.

Sancha:
Sancha era a melhor amiga de Capitu, sendo totalmente caracterizada como o oposto dela. Não era nem um pouco ousada e nem parecia esconder nada por trás disso. Acabou se casando com Escobar e talvez seja pela 'falta de tempero' que gerou uma possível traição dele com a melhor amiga de Sancha, chamada por ele de 'cunhadinha'. 

José Dias:
Agregado á família de D. Glória, vivia sempre fazendo bajulações e usando superlativos para sempre tentar agradar eles. No começo, ele acaba impondo á D. Glória a ideia de que Bentinho fosse para o seminário, mas depois, revelando seu lado 'bajulador' totalmente, o ajuda á sair de lá. Quanto ao seu aspecto social, mostra que ele era um homem livre, porém que dependia dos outros para se manter vivo. 
--------------------------

4. ESTRUTURA NARRATIVA

Não posso dizer quantas páginas ao certo possuem o livro, já que foram publicados muitos exemplares de diversas editoras e também adaptações, o que acaba fazendo com que isso varie. Posso dizer quanto ao número de capítulos - 148, no total - que eram muito curtos, cada um falando de um episódio da vida do protagonista e reflexões sobre ela. É narrado em primeira pessoa, pelo Bentinho, o qual decide escrever sua história quando já se torna Dom Casmurro, por volta dos 54 anos. O gênero é o realismo psicológico e o romance impressionista
--------------------------

5. O MISTÉRIO DA TRAMA

Eis a questão: Capitu traiu ou não Bentinho? Mistério da história, o qual até hoje é muito debatido e que a verdade foi levada ao túmulo junto com o escritor Machado de Assis. Foram desenvolvidas muitas teses que, embora possam acabar nos convencendo, a verdade é que nunca saberemos! Fazendo uma pesquisa para realizar esta análise, achei um trecho num site, o qual devo dar créditos devidamente á ele, que mostra exatamente o que quero dizer e o porque Capitu era famosa pelos 'olhos de ressaca':

"Bento, que recebia o apelido de Dom Casmurro pelo seu ar sóbrio, acompanha o crescimento do filho, a cada dia mais parecido com Escobar, carregando consigo a eterna dúvida a respeito da fidelidade da esposa. Esta, por sua vez, mantinha um ar dissimulado, tão minuciosamente descrito por Machado de Assis, traduzido nos famosos 'olhos de ressaca' de Capitu."


Podemos muito bem julgar a fidelidade de Capitu, porém, não devemos esquecer que Dom Casmurro era advogado, o que poderia ter feito com que alterasse os fatos, fazendo com que sua mulher ficasse como a culpada.... É, não tem como saber! rs 

--------------------------

Bom pessoal, acho que é isso! Mais tarde postarei uma lista de exercícios de vestibulares que falam sobre o livro para vocês, ok? Também gostaria de saber de coração a opinião sobre a análise e, caso alguém a utilize, se ela ajudou em algo! rs Deixem seus comentários!

Beijinhos, 
Caroline. 



2 comentários :

  1. Curti a sua análise de "Dom Casmurro" Carol, ficou parecida com a do livro da Célia que tenho do cursinho.
    Mas se vc fosse escolher uma, qual seria a sua opinião? ela traiu ou não? haha =P

    Gostei do blog!

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Passando p conhecer o seu espaço e te convidar p conhecer o nosso blog/ nosso som e ser nossa seguidora. Já estamos te seguindo!
    Somos a Banda L 100 PopRock!
    Grande abraço.


    http://l100poprock.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Críticas são importantes, até mesmo as negativas! Então, não deixe de criticar por aí!